Grandes empresas se fundem e fodem a vida do consumidor!!!

Consumidor com raiva
Consumidor com raiva

Foi noticiado no final de junho no portal Tecnoblog que a Vivo está interessada em comprar a Nextel. É claro que essa possível compra não agradou nem um pouco quem é cliente da empresa. Afinal de contas, ao longo deste post mostrarei que essas fusões só servem para ferrar a vida do consumidor final.

A empresa, líder em transmissão de rádio e internet 3G, vem operando no vermelho há algum tempo, graças a forte concorrência para o WhatsApp e semelhantes, devida a popularização da internet 3G via celular no país.

Fontes disseram à Reuters que a NII Holdings, dona da Nextel, contratou uma assessoria financeira para vender seu controle de 70% da operadora no Brasil. Entre os potenciais interessados, estão a Telefônica/Vivo; e a Access Industries, que já tem participação de 30% na Nextel. Para maiores informações, acesse o tecnoblog e leia a notícia na íntegra!

O quanto essas fusões podem prejudicar o consumidor final? Viva o monopólio ou quase isso!!!!

Tudo bem que a Nextel está passando por dificuldades devido à concorrência, mas essa venda para a Vivo só vai diminuir a opção para o consumidor final. Ou seja, Oligopólio puro!

Grandes empresas passam por dificuldades e vem outra, que já é líder em algum segmento e comprar essa empresa, que de certa forma também oferecia o serviço que a empresa concorrente trabalhava; que é internet 3G. Ao invés da empresa tentar se reestruturar, prefere se fundir a outra, diminuindo a concorrência para o consumidor final.

Querendo ou não, essas fusões acabam criando o chamado monopólio – que é quando uma empresa não tem concorrência com outra. Sem concorrência, essa empresa poderá oferecer seus serviços pelo valor que ela quiser, porque não há concorrente que possa oferta o mesmo serviço pelo preço mais baixo, forçando o consumidor a escolher, não só o serviço, mas alguma coisa a mais que possa fazer ele (o consumidor) a querer contratar a empresa “X” e não a “Y

Dês dos anos 2000, a GVT e a Vivo eram concorrentes em planos de TV paga, telefonia fixa e internet banda-larga. Pois bem; em 2015 a GVT foi comprada pela Telefônica por 22 Bilhões de reais. O que muitos não sabem é que a telefônica, que é uma empresa Espanhola, também é dona da própria Vivo.

Ou seja, é uma confusão do caralho! Só sei que no final das contas, a Vivo se fundiu com a GVT, deixando o nome (GVT) pra trás, passando a adotar o único nome: “VIVO”.

Bem antes dessa fusão insana acontecer, a “GVT” era premiada todos os anos como a melhor internet banda-larga do Brasil, e, se me lembro bem, a empresa manteve esse ranking por seis anos consecutivos. Pois então, segundo informações dos clientes da GVT e para encurtar o assunto; A Vivo chegou, comprou – e a qualidade da GVT despenou! Morreu o assunto!!!

Essas fusões só servem para deixar o consumidor sem opção de escolha!

As empresas de TV por Assinaturas se fundem e deixa o consumidor em opções de escolha!
As empresas de TV por Assinaturas se fundem e deixa o consumidor em opções de escolha!

Essa arte (acima) mostra o quanto o consumidor foi prejudicado quando essas empresas se uniram. Lembrando que essa arte é baseando-se nas fusões das empresas de TV por Assinatura.

As empresas de TV Paga se fundem e deixa o consumidor sem opções de escolha! Mais ou menos no ano 2000, eram essas empresas pagas que atuavam no país:

SKY
Directv
Net
Vivo
Embratel (clarotv)
GVT

Ou seja, seis grandes empresas! Não importam se são via cabo ou satélite, o que importa agora é a quantidade de empresas que atuavam no ano 2000. Agora vamos aos fatos, ou melhor, as fusões!

As fusões ao longo dos anos!

Em agosto de 2001, a Directv se fundiu com a SKY, diminuindo assim, uma opção ao consumidor, restando apenas 5 operadoras de TV por assinatura no país.

Em abril de 2016, a Vivo se uniu a GVT, tornando uma só operadora e diminuindo ainda mais a opção de escolha do consumidor. Com essa fusão, restou apenas 4 operadoras. Vai cotando aí!

Em 2011, a Claro, Net e Embratel se uniram para entregar um serviço, que supostamente, serias maior e melhor para os consumidores, segundo reportagem do portal G1. No entanto, as empresas sempre afirmavam que iriam trabalhar de forma independente, ou seja, iriam fazer concorrência entre si.

Essa teoria fazia muito sentido na época. Mas, nada melhor que o TEMPO para mostrar aos consumidores que o buraco é muito mais embaixo. Não vou entrar em detalhe, mas o que consegui apurar ao realizar várias pesquisas na internet é que essa, digamos assim “parceria”, serviu apenas para formar uma só empresa, e eles conseguiram. Tanto que, agora, tanto faz se você é cliente da Net, Embratel ou da ClaroTV, agora você é cliente de uma única empresa.

Em abril de 2016, a Claro, Net e Embratel anunciaram para o público como uma única empresa, concluindo a fusão que começou lá em 2011. Por enquanto, a empresa está usando ambos os nomes “ClaroTV” e “Net”, até eles encontrarem algum nome que possa chamar de seu – e descartou o nome Embratel de vez.

ClaroNet
ClaroNet

Lembra que restavam 4 operadoras? Pois então, com essa fusão da ClaroTV com a Net; quatro menos um é igual a três; agora são três grandes operadoras atuando no país: ClaroNet (nome sugestivo), SKY e VivoTV. Uma desgraceira só!

Observação: Eu não coloquei a OiTV nessa treta, porque a operadora só atua em alguns estados do Brasil. Por que isso? Vai saber!

Continuando… Cadê a opção de escolha do consumidor? Se a cada dez anos ou menos essas grandes corporações se usem deixando o consumidor final sem escolha!

Isso é porque estou me referindo às fusões, apenas das TV por Assinaturas, fora as fusões das instituições bancárias:

  • Unibanco com Itaú – ficando apenas o Itaú
    Santander com Banespa – ficando apenas o Santander
    HSBC com o Bradesco – ficando apenas o Bradesco
    Banco Real com o Santander – ficando apenas o Santander e por aí vai!!! Haja fusão para FUDER a vida do consumidor final.

O que me deixa puto é saber que existe um órgão, chamado CADE (Conselho Administrativo de Desenvolvimento Econômico) que pode e têm o PODER de NEGAR essas fusões que vai ferrar com o consumidor final, só que eles acabam aprovando essas fusões. Isso é muito estranho?!?!?

Tem mais! A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) é outro órgão que nada faz para impedir essas uniões, no mínimo suspeita. Mas também pudera – o que poderia esperar da Anatel, esse órgão não ta nem aí para o consumidor!

João Rezende, ex-presidente da Anatel caiu após ele concordar com a franquia na internet fixa.
João Rezende, ex-presidente da Anatel caiu após ele concordar com a franquia na internet fixa.

Lembra da polemica das operadoras que queriam colocar limite na internet fixa? Polemica essa que derrubou o presidente da Anatel, o saudoso João Rezende (foto), que culpou os consumidores por ficarem jogando muito tempo online!? Pois bem, você sabia que o assunto ainda está em pauta, por debaixo dos panos,segundo informações do portal Tecnoblog.

O consumidor brasileiro só de fode nesse país! Essa é a verdade!!!

Comecei esse post afirmando que existiam seis grandes operadoras de TV por Assinatura (seja cabo ou satélite) e no final ficamos com apenas três, por enquanto. Não duvido nada que num futuro próximo a SKY se una com a Vivo, quem sabe. Afinal de contas, aqui é o Brasil, aqui, tudo pode!

As únicas pessoas que não pode dá a sua opinião são as mesmas pessoas que MANTEM essas empresas em plena atividade. Quem são essas pessoas?

Resposta: os consumidores!

Porém, os consumidores não são respeitados nesse país. Quando grandes corporações se unem, não são para beneficiar o consumidor final, mas sim, beneficiar eles mesmos, essas grandes empresas que cobram por um serviço, muitas vezes medíocre, que custa os olhos da cara e deixa a desejar.

Essas situações me fizeram lembrar de uma outra notícia que ocorreu há pouco tempo, onde a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) – outro órgão que deveria lutar a favor do consumidor, que mais que ele se foda.

O caso é o seguinte:

Por pressão das companhias aéreas, a Anac permitiu que as mesmas cobrassem pela bagagem de mão, caso o consumidor ultrapassem o peso máximo. Em contrapartida, as empresas aéreas afirmaram que os preços das passagens aéreas iriam cair. Ou seja, iriam ficar mais baratas.

Isso na teoria, porque na prática (…). Além das passagens não ficarem mais baratas, elas aumentaram mais 6%. Leia: 1 ano após cobrança demala, passagem sobe 6% em vez de cair como prometido!

No caso dessas fusões que ocorrem no setor de TV por Assinatura, ao vês de baratear o pacote, eles ficaram cada vez mais caro! Isso sem contar a qualidade dos canais pagos, que a cada ano vem piorando.

Chega ser um absurdo, você pagar quase R$200,00 reais (ou mais) por um pacote HD e chega certa hora que você não consegue achar absolutamente nada para ver, tendo que adquirir serviços adicionais como o Netflix, HBOGO, Amazonprime (…) para suprir a falta do que ver.

Então, no dia 15 de Março é comemorado o dia do consumidor!

Então eu pergunto: comemorar o que?

Na minha humilde opinião, esse dia só me faz lembrar o quanto você, consumidor, só se fera nesse país. Só se for isso!

Essas grandes corporações só querem ver a cor do seu dinheiro. Eles não estão nem aí se a empresa está no top ranking das reclamações do portal “Reclame Aqui”. Aliais, ao que tudo indica, parece que eles fazem questão de estarem nesta seleta lista!

Enfim, vou ficando por aqui. Acho que disse tudo o que tinha que dizer!

Fiquem na paz!