Cotas nos Cinemas Brasileiros: O que não te contaram!

"De Pernas pro Ar 3" versus "Vingadores Ultimato" a batalha de exibições nos cinemas brasileiros!
“De Pernas pro Ar 3” versus “Vingadores Ultimato” a batalha de exibições nos cinemas brasileiros!

Osmar Terra, ministro da Cidadania, assinou um decreto que estabelece cotas para os filmes nacionais nos cinemas em 2019. A informação foi confirmada pela Folha e a expectativa é que a decisão seja publicada no Diário Oficial nos próximos dias. (entenda)

A medida acontece após uma polêmica recente com a estreia de Vingadores: Ultimato, que ocupou cerca de 80% das salas dos cinemas do país e deixou o filme da com Ingrid Guimarães,  “De Pernas pro Ar 3”, quase sem salas para ser exibido.

Calma lá pessoal vamos por partes para o post não ficar grande e confuso:

Parte 1: O que não te contaram!!!

Essa cota já existia dês de 2015! O decreto nº 8.386/2014 foi publicado pela Ancine (Agência Nacional de Cinema) no final de 2014 . Acesse e dê uma conferida!

No entanto, essa “Cota” tem prazo de validade e a mesma venceu no último Governo. O governo Bolsonaro deveria ter renovado essa cota e assim, ele fez. No entanto, o desembargador Johonsom di Salvo afirmou que a cota configura “severa intervenção em atividade negocial lícita” e que, como a atividade cinematográfica “não tem natureza de serviço público“, ela, “só pode receber do poder público uma tutela mínima“. Leia!

Ou seja, pra resumir o assunto; estavam usando e desviando o dinheiro que era destinado para a produção de filmes Nacionais. Simples assim!

Beleza vamos deixar esses desvios de recursos de lado que isso, de fato, sempre aconteceu e vamos focar nessa tal de “Cotas de filmes Brasileiros nos Cinemas Nacionais“.

Parte 2: Isso só acontece no Brasil!

Como disse anteriormente, essa cota já existia dês de 2015! Essa Cota, nada mais é que, uma obrigatoriedade, a qual, todos os cinemas no Brasil destinem 30% das salas dos cinemas para exibição de Produção Nacional.

Exemplo: Supondo que você vá ao cinema no shopping da sua cidade e esse cinema tenha dez salas de exibições. Pois então, segundo essa lei abilolada, dessas dez salas, o dono do cinema terá que destinar três salas para exibir Conteúdo Nacional. Simples assim!

Ou seja, a Ancine, órgão responsável por essa “criativa lei” quer enfiar cérebro à dentro Conteúdo Nacional aos espectadores, mesmo que esses espectadores estejam BEM MAIS INTERESSADOS em ver Vingadores Ultimato do que ver o terceiro filme da Ingrid Guimarães; “De Pernas pro Ar 3”.

Parte 3: “Dê Pernas pro Ar 3” versus “Vingadores Ultimato”, a batalha nos cinemas brasileiros!

Segundo outros portais de notícias, a atriz, Ingrid Guimarães foi o pivô dessa disputa cinematográfica nas salas dos cinemas. Como Vingadores Ultimato estava, literalmente, monopolizando 80% das salas Brasil a fora, ela usou a força da lei que lhe dava esse direito e exigiu que seu filme fosse exibido.

Não é só isso, a triz também declarou que seu filme tem toda competência de competir com Vingadores Ultimato! Vê, se pode um negócio desse? Tem algum cabimento? Nenhum! 

Veja bem, não estou menosprezando a atriz e/ou seu talento, tão pouco seu filme ou à Produção Nacional Brasileira. No entanto, essa declaração – que seu TERCEIRO filme – tem poder de competir com um blockbuster, cujo orçamento foi de 350 milhões de dólares, cheio de efeitos especiais, a qual os espectadores esperaram um ano para ver o seu desfecho (…). Olha, foi falar:

Ingrid Guimarães está com depressão porque seu filme foi um FRACASSO de bilheteria, só pode. #prontofalei

Ela “acha” que o terceiro filme da franquia é tão bom quanto Vingadores! Fala sério! Só aqui no Brasil que acontece essas coisas.

Eu vi o primeiro filme. É muito bom! Porém, apesar de não ter visto o 2ª e não estou nenhum pouco INTERESSADO em vem ver o terceiro, está mais do que óbvio que a fórmula do filme ficou batida e desgastada.

Leia a crítica do portal Uol: ‘De Pernas Pro Ar 3’ esgota fórmula e amontoa clichês

A atriz fez a seguinte declaração durante entrevista ao Jornal Folha de São Paulo: “Se meu filme “De pernas pro Ar 3″ fosse exibido em 80% das salas do mundo, já teria ultrapassado Avatar faz tempo como maior bilheteria de todos os tempos”, afirmou a atriz.

4 – Viva o Cinema Brasileiro, mas…

Veja bem, não estou menosprezando a Produção Nacional Brasileira, pelo contrário, filmes como: Os Farofeiros, Tropa de Elite 1 e 2, a franquia “Até que a Sorte nos Separe”, são bons exemplo de que o Cinema Nacional tem público pagante e não é pouco. Esses filmes ultrapassam a bilheteria de mais de um milhão de reais!

Essa bilheteria nas produções nacionais mostra que o Brasil produz ótimos filmes! No entanto, não é por força de lei que qualquer produção nacional vai ser um sucesso, só porque vai está em mais salas. Pelo contrário, o que pode acontecer é que as poucas sessões do filme da Ingrid Guimarães podem ficar com salas VAZIAS enquanto o público está a fim de ver Vingadores. Óbvio!

Então, o que vai acontecer é, enquanto o filme “De Pernas pro Ar 3” fica ocupando três salas por força de lei, Vingadores Ultimato vai ficar mais tempo em cartaz. Simples assim! Porque os espectadores querem ver Ultima e não “De Pernas pro Ar 3”. #fato

Você acha justo OBRIGAR os donos dos cinemas a exibirem algo que O SEU PÚBLICO não está a fim de ver porque a lei lhe obriga a fazer isso? É claro que não! Seria a mesma coisa que um restaurante especializado em comida Japonesa ser obrigado a reservar 30% das suas mesas para servir alguma comida típica brasileira para “incentivar” a culinária local. Ou seja, essa lei abilolada não tem o menor cabimento!

José Padilha, direto de Tropa de Elite 2 e 3 e o remake de Robop (2014), entre outros sucessos!
José Padilha, direto de Tropa de Elite 2 e 3 e o remake de Robop (2014), entre outros sucessos!

O diretor José Padilha afirmou com toda sua convicção e talento que o cinema brasileiro tem condições de competir com igualdade com o cinema hollywoodiano, dês de que a produção brasileira tenha verba para isso.

No entanto, o desembargador Johonsom di Salvo revogou essa lei porque a verba destinada a PRODUÇÃO NACIONAL, além de está sendo usada de forma errada, parte dessa verba estava sendo desviada para outros fins. Aí fica difícil apoiar alguma produção Nacional, mesmo por força de lei!

5 – O que não te contaram 2: O buraco é muito mais embaixo!

Esse caso me fez lembrar outra lei da nossa querida Ancine (Agência Nacional de Cinema), o Projeto de Lei 29/07/2008, de autoria do deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), a qual determina que TODOS os canais PAGOS exibam 03h30minh de Produção Nacional por semana e os canais que não obedecerem a PL29 (como ficou conhecida na época) iria perder a concessão de transmissão no Brasil. Acesse e leia!

Cotas de produção nacional na TV por Assinatura que VOCÊ paga!
Cotas de produção nacional na TV por Assinatura que VOCÊ paga!

Segundo o deputado, a PL/29 foi criada para “Incentiva a Produção Nacional Brasileira”.

Ou seja, você PAGA por um serviço que deveria ter conteúdo exclusivo que é exibido na sua TV pro Assinatura, já que VOCÊ paga por essa exclusividade, mas, segundo o deputado; nós precisamos incentivar a Produção Nacional e todos os canais PAGOS serem obrigados a serem descaracterizados para cumprir a PL29.

É claro essa lei não foi bem vista! Segundo pesquisa da ABPTA (Associação Brasileira das Programadoras de TV por Assinatura), entidade que reúne os canais internacionais da TV paga esse projeto de lei poderia provocar um aumento de até 83% no preço final da assinatura.

Apesar da ABPTA ter alertado para o aumento da assinatura e de todas as operadoras de TV Paga terem criado várias campanhas alertando o assinante e condenando essa lei, a mesma foi aprovada e hoje, vemos os nossos canais favoritos com uma programação que muitas vezes deixa a desejar: vários canais descaracterizados e a sua assinaturas cada vez mais caras. Graças a Ancine e ao deputado Paulo Bornhausen, que achou que o ASSINANTE estava vendo muitos enlatados americanos.

Não é só isso!

Você sabia que cada filme estrangeiro que você ver, seja na sua TV por Assinatura ou via Streaming, tipo Netflix, Amazon vídeos ou Hulu, você sabia que todos eles pagam uma taxa de até 2 mil reais por título? (esse valor pode ser maior, faça a sua pesquisa)

Pois é, meus queridos. É isso mesmo que você lei. Cada filme exibido via streaming ou na sua TV por Assinatura tem um custo. Ou melhor, uma taxa! Essa taxa é a tal da Condecine (Contribuição para Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica). Porém, mesmo assim, com todas essas taxações, o governo ainda cria uma lei de cotas para as TVs por Assinaturas e cotas nas salas dos cinemas brasileiros.

Isso é o Brasil!

Leia também...